Skip to content

POLZONOFF Posts

Sonhos

Quando estava no fundo mais fundo do poço profundo em que me enfiei por umas tristezas que nem vale a pena comentar, costumava dizer às pessoas que não tinha mais sonhos. E por um motivo simples: eu havia realizado todos os meus sonhos até então. E não falo dos sonhos bobinhos que todo mundo tem. Se bem que esses também (com o perdão pela rima). Plantei minha primeira árvore ainda criança, no colégio. Passei por lá outro dia e vi que as árvores deram lugar a um condomínio, mas isso não é problema meu. Livros antes dos trinta eu já…

Share
Comments closed

Sou este homem

Sou este homem que diz sempre “muito prazer” ao conhecer um estranho, mesmo que seja mentira. E que, ao longo da conversa, sempre dá um jeito de encaixar um “tô cansado”, mesmo não estando. Porque, no fundo (ou nem tão no fundo assim, vai), sinto uma inveja danada daquelas pessoas que chegam ao fim do dia sem tempo ou energia para refletir sobre a singularidade ou para criar super-heróis heterodoxos em textos que não encontram leitores nunca. Sou este homem louco para conversar com alguém, eternamente carente de amigos ou mesmo de colegas ou conhecidos ou não. Ao me deparar…

Share
Comments closed

O Impronunciável

— Então é assim? — perguntei para o nada. Ao meu redor, o branco fofo das nuvens infantis. Uns prédios dourados, possivelmente de ouro. O som de milhões de harpas dedilhadas por anjos nus, mas sem sexo. Aquele lá ao fundo é Borges soterrado por uma biblioteca infinita? Eu havia morrido e aquele era o Céu. Quem diria: as crianças é que estavam com a razão! Nuvens brancas, prédios de ouro, harpas. Só faltava me encontrar com… — Deus?! — exclamei-perguntei. Era o Próprio. Um Senhor de barbas brancas e manto igualmente branco. Olhos profundamente azuis e mãos estranhamente calejadas…

Share
Comments closed

Ou não

“O importante é começar o texto com aspas, para já impressionar o leitor com sua cultura vasta”, disse o poeta cipriota Alxdje Xiruhqd. Repare na quantidade de consoantes e na impronunciabilidade do nome. E também na nacionalidade remotíssima. Não se preocupe com o fato de ser uma citação completamente falsa de um poeta idem. Se você tiver credibilidade diante do leitor, ele jamais verificará a fonte da citação. E se você não tiver ele jamais verificará a fonte por pura preguiça. Agora abra outro parágrafo porque o leitor, por incrível que pareça, já cansou. Muito bem. Insista no erro, só…

Share
Comments closed

A Era das Ideias Imperdoáveis

Aos meus leitores do futuro desmemoriado (isto é, a partir da semana que vem), convém contextualizar: em maio de 2018 o Brasil enfrentou uma greve de caminhoneiros que teve graves consequências para o país, tanto econômicas quanto políticas. Houve gente apoiando o caos e a baderna e, pior, muita gente pedindo a queda do governo e uma intervenção militar. Além da ignorância histórica (histórica em si e em relação à história) e econômica, essa greve acabou expondo outra crise, esta de ordem espiritual. E não, não estou falando aqui de religiosidade, de ser católico ou macumbeiro; estou falando de transcendência…

Share
Comments closed
Let's talk